- por Alison Booth

Mais um passo em direção a uma vacina contra a dengue

dengue1

Vírus da dengue. Todas as imagens são cortesia de Sanofi Pasteur.


Estamos mais próximos de uma vacina contra a dengue? Em setembro de 2014, a empresa farmacêutica Sanofi Pasteur anunciou os resultados da segunda onda de sua Fase III de testes clínicos. A notícia tem como base os resultados positivos do primeiro semestre de seus testes clínicos da Fase III na Ásia.
No primeiro teste, que envolveu 10.275 crianças com idade entre 2 e 14 anos, em toda a Malásia, Filipinas, Tailândia e Vietnã, a Sanofi Pasteur informou que a vacina candidata teve uma eficácia de 57% contra a dengue sintomática. Ainda mais importante, o estudo constatou que a vacina candidata tem uma eficácia de 89% contra a dengue grave e reduziu as internações em 67%.
O segundo estudo envolveu um esquema de vacinação de três doses em 20.875 crianças com idade entre 9 e 16 anos, em todo Brasil, na Colômbia, México, Honduras e Porto Rico. A Sanofi Pasteur informou que a vacina candidata mostrou eficácia total de 60,8% contra a dengue sintomática e redução de 80,3% de internações.
De acordo com a empresa farmacêutica, nos dois testes, o nível de eficácia variou entre cada sorotipo de dengue: variando desde 50% para o tipo um, 35% para o tipo dois, 78% para o tipo três e 75% para o tipo quatro no teste asiático. Os resultados foram consistentes, com uma variação menor no teste da América Latina: 50% para o tipo um, 42% para o tipo dois, 74% para o tipo três e 77% para o tipo quatro.
Estes resultados indicam que a vacina poderia trazer uma boa contribuição para alcançar as metas da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a Estratégia global de prevenção e controle da dengue, de 2012 a 2020, que tem como objetivo reduzir a mortalidade causada pela dengue em 50% e a morbidade em pelo menos 25% até 2020.
Redução da gravidade da dengue
dengue2“A dengue é muito imprevisível, e nunca se sabe realmente se um paciente com dengue vai entrar em choque ou se é um caso leve”, revela a Dra. Rosario Capeding, chefe do grupo de vacina da dengue no Instituto de Pesquisa de Medicina Tropical, nas Filipinas. “A vacina terá um grande impacto porque sua eficácia é suficiente. Porém, o aspecto mais importante é que a vacina candidata diminuiu a gravidade da doença. Como uma mãe e um médico, que é o que estamos procurando. Se você tiver um filho com dengue, a vacina dará mais confiança de que só se trata de uma dengue leve”.
“Demorou 20 anos para que a Sanofi Pasteur desenvolvesse a vacina, porque ela é diferente”, observa Dra. Capeding. “Ela protege o indivíduo contra os quatro sorotipos, não importa se somente um ou todos eles estejam circulando em uma região, em qualquer momento. No início, na década de 1940, a vacina contra dengue protegia apenas contra um sorotipo”.
“O desenvolvimento foi ainda mais complicado porque, ao contrário de outras vacinas, não é possível testá-la em animais”, continua. “Os macacos podem contrair a doença, mas a manifestação entre macacos e seres humanos é diferente”.
Maior impacto onde há mais necessidade
dengue3Confirmando os resultados positivos da Ásia, os resultados da América Latina são boas notícias para a Sanofi Pasteur. “Estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos com o segundo teste, pois eles se mostram consistentes em dois estudos de fase III”, diz Melanie Saville, médica diretora e chefe clínica (CMCO), Dengue na Sanofi Pasteur. “Estamos prosseguindo com a análise e a compartilhando com especialistas e com os reguladores da área, com o objetivo de enviá-la para aprovação em alguns países importantes, em áreas endêmicas”.
Melanie espera que uma vacina esteja disponível em alguns países endêmicos importantes no segundo semestre de 2015: “Em 100 países de risco, a necessidade médica não é atendida com nenhuma vacina e nenhum tratamento no momento. Isso é muito importante para a luta contra a dengue”.
A Dra. Capeding já adianta que ela e outros especialistas em vacina contra a dengue em todo o mundo serão convidados a participar de discussões sobre as prioridades para a vacina em sua região (nas Filipinas) e possivelmente sobre a interação da vacina no programa nacional de imunização.
Esta não é a única vacina contra a dengue em desenvolvimento. Dentre as empresas que trabalham em vacinas contra a dengue estão Takeda, GlaxoSmithKline e Merck (todos em colaboração com outras organizações). Nenhuma delas está na Fase III de testes clínicos, mas em breve criaremos uma publicação separada sobre o trabalho delas.